Revolução francesa – Resumo, causas e o que foi

118
831

Revolução Francesa - Causas e Resumo

A Revolução Francesa se trata de uma série de acontecimentos no período de 5 de maio de 1789 e 9 de novembro de 1799, que mudaram o cenário político e social da França.

O contexto da Revolução Francesa

A França, em 1789, era um país falido. Os exageros da corte, os gastos excessivos com guerras, a indisposição com a Inglaterra e os privilégios dispensados ao clero e à nobreza, fizeram aumentar a insatisfação da população.

A sociedade civil era dividida entre o clero, a nobreza e a burguesia, essa última, formada por parte da população que pagava impostos. Esse impostos eram altos, e serviam para custear a boa vida da corte, do clero e da nobreza. Esse foi um dos motivos que levaram a população a se revoltar.

A incapacidade do rei no governo também motivou a revolução. Além de levar o país à falência com a péssima administração econômica, ele ainda controlava os tribunais e fazia condenações injustas, de acordo com a sua vontade. Os presos eram levados à fortaleza da Bastilha, que depois foi invadida pela população.

O que foi a Revolução Francesa

Com tantas injustiças, a população se revoltou contra o rei e seu poder absoluto. As principais reivindicações eram o fim dos privilégios que o clero e a nobreza desfrutavam e a instauração da igualdade civil.

O movimento teve o apoio dos burgueses, que viam a má administração como um empecilho para o desenvolvimento do capitalismo. Vários intelectuais também denunciavam a situação, e buscavam conscientizar as pessoas.

Causas da Revlução Francesa

Causas da Revolução Francesa
Causas da Revolução Francesa

As principais causas da Revolução Francesa foram as seguintes:

  • A crise financeira sofrida pelo país antes da revolução (uma das principais causas);
  • Os envolvimentos da França na Guerra de Independência dos Estados Unidos, além da participação e derrota na Guerra dos Sete Anos;
  • O regime político do país, que era governado pelo absolutismo do rei;
  • A ascensão da classe burguesa, que desejava mais liberdade em relação ao comércio e o fim dos altos impostos;
  • O movimento cultural e intelectual iluminista, que buscava a reforma social e o fim dos pensamentos medievais;

Fases da Revolução Francesa

A revolução francesa pode ser dividida em fases, e uma série de medidas que motivaram ainda mais a revolução. A primeira fase foi marcada pela convocação da Assembleia dos Estados Gerais, em 5 de maio de 1789, pelo rei Luis XVI. Os estados eram o clero, como 1o estado, a nobreza como 2o, e os representantes da maioria da população, que eram deputados do 3o estado.

O principal motivo dessa convocação era a preocupação do rei em relação à situação econômica do país. Ele propôs a criação de um novo imposto, a ser cobrado do 1o e 2o estado, mas isso gerou revolta entre os membros do clero e da nobreza, que votaram, obviamente, contra esse novo imposto.

Como consequência, uma nova votação foi realizada, para cobrar mais impostos do 3o estado. Como cada estado tinha direito somente a um voto, e não era por representante, essa proposta venceu com dois votos a favor, do 1o e 2o estado e um voto contra do 3o estado, que afinal, era a parcela da população que já sofria com as cobranças abusivas.

A reação dos representantes do 3o estado foi de exigir que a votação fosse por representante, mas foi negada pelo rei. Com a rejeição, o 3o estado então se auto proclamou Assembleia Geral Nacional. Com isso, as decisões não seriam mais votadas entre os estados. O rei ficou surpreso com a audácia, e determinou o fechamento da sala onde ocorria assembleia.

Os deputados do 3o estado então se reuniram em uma sala onde a nobreza costumava participar de jogos, e decidiram que ficariam ali reunidos até instauração de uma constituição. Após esse evento, a população invadiu a fortaleza de Bastilha em Paris, em 1789, com o objetivo de demonstrar simbolicamente a queda do absolutismo.

A Queda de Bastilha foi o evento máximo e decisivo para o início da Revolução Francesa, pois era a prisão para a qual o rei enviava injustamente os condenados. Foi um evento tão importante, que até hoje o dia de 14 de julho é um feriado nacional, comemorado na França como a “Festa da Federação“.

Queda da Bastilha - Revolução Francesa
Queda da Bastilha – Revolução Francesa

Após a invasão de Bastilha, a Assembleia Geral Nacional se transformou em Assembleia Constituinte, onde os deputados elaboraram uma constituição que determinou o fim dos privilégios feudais e de nascimento, a igualdade de todos perante a lei e a garantia de propriedade. Foi feito um juramento, que deu origem ao lema da Revolução Francesa: liberdade, igualdade e fraternidade.

Em 1791, foi votada e aprovada a constituição que estabelecia a Monarquia Parlamentar e limitava o poder do rei pela atuação do parlamento, que era formado por uma parte da burguesia. Na prática, o poder continuava nas mãos de uma minoria privilegiada.

O povo francês ainda permanecia sob os abusos dos impostos, e isso gerou uma radicalização do movimento revolucionário. O fim dessa fase marca o momento mais tenso da Revolução Francesa, quando a população é convocada para lutar contra o conservadorismo que dominava a Assembleia.

Segunda fase da Revolução Francesa

A segunda fase é considerada a mais popular do movimento. Os burgueses haviam proclamado uma república – a República Girondina, em setembro de 1792, transferindo o poder do rei para a própria burguesia, dando fim à monarquia.

O rei Luís XVI e a rainha Maria Antonieta buscavam reestabelecer o poder, e para isso se aliaram à Austria, que tinha intenções de invadir a França. Os burgueses descobriram e prenderam Luís XVI e Maria Antonieta, acusados de traição. Luís XVI foi condenado e morreu em janeiro de 1793 na guilhotina, e em setembro do mesmo ano, Maria Antonieta foi decapitada.

Execução do rei Luís XIV - Revolução Francesa
Execução do rei Luís XIV – Revolução Francesa

Com isso, o movimento revolucionário, agora mais popular, crescia cada vez mais, e era liderado pelo grupo chamado de Jacobinos. Em um cenário de guerra civil, os Jacobinos conseguiram derrubar os Girondinos do poder, e instituíram uma nova constituição, em 1793. Entre os pontos mais importantes da constituição, estavam alguns princípios que agradavam as classes populares:

  • Extinção da escravidão negra nas colônias francesas;
  • Criação do Tribunal Revolucionário, que julgava os contrários a revolução, que eram condenados à guilhotina;
  • A reforma Agrária, que confiscava as terras do clero e da nobreza, dividindo-os em lotes para serem vendidos aos camponeses, que podiam pagar em 10 anos;
  • A organização do Comitê de Salvação Pública, formado pelos responsáveis do poder executivo, e o Comitê de Segurança Pública, responsável por investigar os suspeitos de traição;
  • Venda de bens públicos e de emigrados para reestabelecer a economia pública;
  • A Lei do Preço Máximo, estabelecendo um teto para salários e preços de produtos;
  • O Sufrágio Universal, que determinava que todos os cidadãos homens maiores podiam votar.

Apesar de agradar a maioria da população, o governo dos Jacobinos se tornou ditatorial. Eles decidiram que, para se estabelecer uma democracia e garantir as conquistas instituídas, era necessário impor o poder à população, e condenar os suspeitos de traição à guilhotina.

Esse período ficou conhecido como a Era do Terror, e teve como líder supremo o jacobino Maximilien Robespierre. Foi o momento da Revolução Francesa que mais se utilizou a guilhotina, até mesmo líderes jacobinos próximos a Robespierra foram guilhotinados.

O caráter repressor do novo governo motivou os Girondinos a articularem um golpe de estado, que daria origem à terceira fase da Revolução Francesa.

Terceira fase da Revolução Francesa

Na terceira fase, o Comitê de Salvação Pública condena Robespierre e outros líderes jacobinos à morte, dando fim à Era do Terror em 27 de julho de 1794. Essa data ficou conhecida como “9 do Termidor”, e caracterizou o golpe que retornaria os Girondinos ao poder. Era o fim da participação popular na Revolução Francesa.

O novo governo foi denominado Diretório, e foi responsável por elaborar a nova constituição. Com o apoio do exército, o governo Diretório manteria a burguesia protegida da república jacobina e do antigo regime.

Apesar disso, as outras camadas sociais não respeitavam o governo, os burgueses mais influentes percebiam os riscos de uma queda do Diretório diante dos inimigos internos e externos. Eles acreditavam que era necessária uma intervenção militar para manter a ordem e os lucros.  

O general francês mais popular da época, Napoleão Bonaparte, que havia retornado do Egito, teve o apoio de alguns diretores e de toda a burguesia para extinguir o Diretório e instaurar o Consulado. Esse golpe, que ocorreu em 9 de novembro de 1799, ficou conhecido como “18 de Brumário“, e deu início à era napoleônica na França.

A Revolução Francesa foi um dos acontecimentos mais conturbados da História e uma das mais importantes revoluções, que estimulou o início da Idade Contemporânea.

COMPARTILHE

118 COMENTÁRIOS

  1. Quem escreveu ou tinha pressa ou estava com sono pois é tão pequeno que me da vontade de chorar.

    Já começaram falando sobre o final da revolução, 18 brumário.

    Melhor mesmo é a INFOESCOLA.

  2. "acontecimentos que acontecerem"???? eu acho q ta meio errado ein?

  3. Sinal que leu rsrs' normalmente as pessoas só dão um CTRL + C e Já era kk!

  4. “Logo depois veio a Convenção Nacional, ocorrida entre 20 de setembro de 1972 até 26 de outubro de 1795.”
    Não seria de 1792-1795?

  5. Emerson Barros mas bem q podia melhorar a concordância das palavras

  6. O que foi a Prússia?

    A Prússia foi uma poderosa nação européia que dominou boa parte do centro do continente no século 19. Suas raízes, porém, vêm da Idade Média, quando o país era habitado por caçadores e criadores de gado. Do século 13 em diante, a área caiu na mão de reinos germânicos, que impuseram costumes próprios e transformaram a Prússia em uma máquina de guerra. O auge dessa fera militar ocorreu em 1871, quando o ministro-presidente prussiano Otto von Bismarck liderou a unificação dos Estados de origem germânica para criar um novo país, o Império Alemão. Depois desse processo, a Prússia passou a ser um Estado dentro do Império Alemão, com uma constituição própria e relativa liberdade de decisão em relação ao governo central. Essa organização começaria a ruir com a derrota alemã na Primeira Guerra, em 1918. Na ressaca da surra, o Império Alemão tornou-se uma república – que depois ganhou o nome de Alemanha – e a Prússia perdeu território para países vizinhos. As dificuldades aumentaram na década de 30, quando Hitler chegou ao governo na Alemanha. Concentrando o poder em suas mãos, o ditador acabou com a autonomia administrativa da Prússia e meteu a Alemanha na Segunda Guerra (1939-1945). Por causa da nova derrota, os nazistas foram varridos do poder e a Alemanha passou por uma reestruturação. Na onda da reconstrução, a Prússia deu adeus ao mapa. Em 1947, o Estado foi oficialmente abolido, perdendo seu governador e sua representação parlamentar.

  7. Ninguém percebeu q na parte ("Logo depois veio a Convenção Nacional, ocorrida entre 20 de setembro de 1972 até 26 de outubro de 1795") a data está errada. não é 1972, e sim 1792!

  8. Sr. Zen Devill, para falar a verdade, os comentários devem ser usados para críticas, feedbacks, elogios, e até perguntas. Então o direito do Sr. Isaac de criticar é certo!

  9. Jacobinos instituiram uma nova constituição em 1793, não 1973 como está no texto. Importante não errar nas datas para não confundir os vestibulandos.

  10. Larii Manhães querida,todos erram..vc sabe oq ela quiz dizer então n se faça d boba..eu em tds tem direito de errar,fica corrigindo a mulher por um simples erro..se orienta!!

  11. ''Causas da Revlução Francesa'' Além de outros erros encontrado, a informação não está totalmente completa. E outra coisa, a Convenção Nacional foi ocorrida entre 20 de setembro de 1792 até 26 de outubro de 1795. Não tem nadinha de 1972! Pelo amor.

  12. mano vai se fuder o q eu fiz pra vc???????????????????? annnnnnnnnnnnnnnnn????????????? nada e vc vem aqui falae isso de mim babaca minha mae conhece a sua otario !!!!!!!!!!!

  13. A unica parte que eu entendi foi a parte que o 1° e o 2° estado ficaram contra o imposto que não sei quem fez, e então eles votaram novamente tirando o povo do 3° estado da coordenação (kkkkkkkkk acho que é isso)

DEIXE UMA RESPOSTA