Nazismo – Totalitarismo, Ideologia, Características

Características e Ideologia do Nazismo
Nazismo – Totalitarismo, Ideologia, Características
Símbolo do Nazismo

O Nazismo é um regime totalitário de extrema direita. O livro Minha Luta (Mein Kampf) escrito por Adolf Hitler possui a essência da ideologia nazista.

Características do Nazismo

· Totalitarismo – estado de forte direita

· Antiliberalismo – censura por parte do governo, regulamentação da economia pelo estado, limitação da liberdade individual etc.

· Militarismo – preparação militar do país para a Segunda Guerra Mundial.

· Anticomunismo – forte perseguição aos comunistas, além de profunda ligação com grupos capitalistas.

· Nacionalismo – desenvolvimento não tão ligado ao capital estrangeiro, propaganda patriótica etc.

· Racismo – pregava a supremacia da raça ariana e perseguia as raças chamadas de inferiores: negros e judeus. Os judeus também eram perseguidos devido ao exagerado nacionalismo econômico.

A maior manifestação do Nazismo foi durante a Segunda Guerra Mundial na Alemanha. Desde então, o Nazismo perdeu força e o que resta atualmente são pequenos grupos em vários países, que geralmente são reprimidos pelas autoridades locais.


Que tal saber mais de:

97 comentários em “Nazismo – Totalitarismo, Ideologia, Características

  1. bom, eu gostei deste site, pois incida cada ideologia e caracteristica do Nazismo, parabéns pelo site e pelas dicas.
    Continue assim, beijos e ate maais .

  2. o meu professor mandou eu fazer uma pesquisa sobre o nazismo,como eu faço pra encontrar e resumir?

  3. Boa tarde, primeira memente parabenizar pelo site, e dizer k a informacao nao e encontra da bem resumida, isso para dizer k deveriam resumir e esclaracer melhor para ser mais facil, estou a procura das caracteristicas ideologicas do nazismo mais nao esta bem claro o que encontrei.

    obrigado!

  4. O nazismo não seria um partido extremo da esquerda,pelo fato de o nazismo ser extremo-direita?

  5. corrigindo a segunda oração: pelo fato de o Fascismo*** ser extremo-direita?

  6. vcs tinha que botar mais coisas para os alunos pesquisar para tira nota boa valeu

  7. o nazismo ainda existe em algumas pessoas inclusive, nas mentes de alguns irmaos africanos ….

  8. Pienso que ninguna ideologia politica es perfecta algunas cosas no son tan terribles en el nazcismo y para hacer todo lo que hizo hitler casi mover al mundo entero fue uno de los hombres mas inteligentes..

  9. Obrigaaaadãoooo Ameeeei Sooo Assim PrAA mIM Paassa de anooo ' kkkkkkkkkkk'

  10. Muito bom o site.Devemos trabalhar para esta monstruosidade nunca mais voltar

  11. aaaaaaaaaaaah ajudou mt, obrigado , afinal um texto pequeno pra quem não gosta de ler é um bom insentivo , bem resumido !

  12. o partido nacional SOCIALISTA era de extrema-ESQUERDA,
    pois a primeira coisa que fizeram foi estabelecer a ECONOMIA PLANIFICADA
    e isto é KARL MARX.

    os nazistas brigaram com a URSS porque rejeitaram o caráter internacionalista que o Comunismo tem e jamais aceitariam misturar a raça ariana com outras raças.

    Nazismo é de extrema-esquerda!

    …..

  13. Acho que tem coisa errada aí. Não seria de extrema esquerda?Até porque Stalin era esquerdista, se uniu à Hitler e invadiram a Polônia. Hitler até disse em seu livro "O capitalismo só desperta o que há de pior nos homens, ganância, egoísmo, inveja, ambição exacerbada, maldade e muito mais. Tinha ideias marximistas.

  14. gostei muito desse site, me fez entender mesmo sobre o nazismo. Agora posso fikar mais tranquila para minha aula de historia !!
    thanks

  15. kkk você vai longe menina pegando qualquer merda que encontra na internet

  16. O Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães (em alemão: Nationalsozialistische Deutsche Arbeiterpartei – NSDAP), mais conhecido como Partido NazistaPortuguês brasileiro ou Partido NaziPortuguês europeu, foi um partido político levado ao poder na Alemanha por Adolf Hitler em 1933. O termo Nazi é uma contração da palavra alemã Nationalsozialist, onde o <t> de Na<t>ional tem o mesmo som do <z> em alemão. (Nacional Socialista), refletindo a ideologia do NSDAP. O partido estabeleceu o Terceiro Reich após ter sido democraticamente eleito para liderar o governo alemão em 1933.
    O NSDAP foi a única força política na Alemanha Nazista depois da queda da República de Weimar, em 1933, até o fim da Segunda Guerra Mundial em 1945, quando foi declarado ilegal e seus líderes presos e julgados por crimes contra a humanidade nos Julgamentos de Nuremberg. O partido adotou dentre seus símbolos, a suástica, e uma saudação à Hitler, inspirada na saudação romana, símbolos estes que atualmente estão profundamente ligados à ideologia racista dos nazistas, tendo se tornado proibidos. A ideologia e as práticas do partido nazista deram origem a um novo ramo de ciência política, popularmente conhecido como "Nazismo".

  17. Ensinando errado essa gurizada:Regime totalitário de extrema ESQUERDA

  18. Leiam o artigo abaixo na integra e assistam o vídeo que o segue, garanto que vão aprender muito mais sobre nazismo do que com mil artigos deste site vagabundo que propaga sem o menor pudor falsificações históricas flgrantes:

    "A fraude adquire ainda maior potencial destrutivo quando reforçada pelo pressuposto – absolutamente mentiroso, conforme já demonstrei em artigos anteriores – que cataloga na direita o nazismo alemão, uma ideologia revolucionária, socialista, estatizante, materialista e anti-cristã como o marxismo, e que só se distingue dele por associar sistematicamente o ódio ao burguês como o ódio ao judeu"[Olavo de Carvalho, "Extrema direita e extrema burrice", O Globo, 8 de Dezembro de 2001]

    Artigo na integra:
    http://www.olavodecarvalho.org/semana/12082001globo.htm

    Vídeo:
    http://www.youtube.com/watch?v=DELRJr7DGWY

  19. Temos um menino aqui que acredita conhecer a história. Seria uma pena se ele só conhecesse a história contada pelo MEC.

  20. Se "entendeu" este artigo, você não sabe nada mesmo sobre o Nazismo.

  21. Parabéns! Vocês estão todos aprovados no vestibular. Pena que para tanto tiveram que aprender errado. Esse resumo só serve para imprimir, fazer um canudo e enfiar no cú de quem o escreveu, porque esse sim é um genocida, maior ainda que Hitler. Mas chega de falatório, vamos aos fatos. Espero que os vestibulandos tenham coragem de ler o que se seguirá, isso se a preguiça já não os deixou no meio do caminho.

  22. Com a palavra: Adolf Hitler:"Nós somos socialistas, nós somos inimigos do atual sistema econômico capitalista para a exploração dos economicamente fracos, com seus salários injustos, com sua indecorosa avaliação do ser humano de acordo com a riqueza e a propriedade em vez de sua responsabilidade e desempenho, e nós estamos todos determinados a destruir esse sistema sob todas as condições."

  23. Estão precisando renovar as leituras em! Leiam Jonah Godberg e esclareçam esses significados para o bem do conhecimento! Que de direita o nazismo não tem nada!

  24. Querendo diversau? Estou de sutiam louca por amour, mim ligue 06598674215

  25. Então , me diga, se um partido de esquerda extrema , como você diz que era, aceitaria incentivo de grandes empresas , como a do vô do Bush, do Ford, dentre outras grandes corporações ? Uma falsa esquerda, igual PT e PSDB, interprete o contexto com outra ótica que vera que é só uma farsa igual as que vivemos .

  26. Matheus Lacombe Então , me diga, se um partido de esquerda extrema , como você diz que era, aceitaria incentivo de grandes empresas , como a do vô do Bush, do Ford, dentre outras grandes corporações ? Uma falsa esquerda, igual PT e PSDB, interprete o contexto com outra ótica que vera que é só uma farsa igual as que vivemos . Uma mascara , rsrs

  27. Mateus Mansur Nenhum grupo ou partido de esquerda, uma vez no poder, jamais irá abolir por completo a propriedade privada. Não porque não desejem faze-lo, mas sim, porque isso é uma impossibilidade matemática. O que estou dizendo já foi comprovado com base no chamado "problema do cálculo de preço" pelos estudos do Nobel em economia, Ludwig Von Mises. Partindo desse pressuposto, o modelo econômico não é mais a definição última do socialismo. O que sobra disso tudo é o projeto político de PODER, o movimento, as conexões e compromissos reais entre os diversos grupos atuantes no cenário mundial. E o nazismo estava, sim, inserido no esquema politico comunista, e suas conexões e compromissos podem ser comprovados, dentre outras formas, pelos inúmeros tratados de colaboração mutua entre a então União das Repúblicas Socialistas Soviéticas de Stalin e o regime Nacional-Socialista alemão de Hittler. Com base no clássico "Stalin's war" (A guerra de Stalin) sabe-se que a União Soviética, então a encarnação do movimento comunista – e não o próprio – financiou e forneceu armas a Alemanha nazista com base na idéia de utiliza-la, como o próprio Stalin dizia, "ponta-de-lança da revolução". O que deu muito certo, diga-se de passagem. Adotar uma politica mais ou menos estatizante, a despeito da impossibilidade material da total estatização dos meios de produção, é algo irrelevante e que será ou não levado a cabo conforme fortalecer ou enfraquecer o poder político do movimento e não mais como uma condição 'sine qua non' para a existência do socialismo.

  28. Matheus Lacombe Mas veja , os exemplos todos que você deu, foram em relação a própria nação, domínio total do poder econômico, isso seria socialismo, mas os exemplos que citei, são de MULTINACIONAIS, coisas que o estado socialista não aceitaria , injetando dinheiro no partido nazista , e devemos lembrar também que essa mesma classe dominante de extrema direita que eram os grandes produtores, estavam descontentes com a separação pós primeira guerra, onde a Alemanha ficou sem terras para a exploração de mão de obra e recursos naturais, o fato de usarem a palavra SOCIALISTA, TRABALHADOR, não quer dizer nada além de um discurso ideológico para animar a população a se unir em um regime totalitário, acompanhe o vídeo a seguir por favor, vale muito a pena ver, são todos pontos de vistas, validos em um debate para enriquecimento intelectual de ambos .

    http://www.youtube.com/watch?v=ejWKa8hNcY8

  29. Mateus Mansur Na verdade não, pequeno gafanhoto. As concessões feitas ao livre mercado pelo movimento comunista internacional não fazem distinção entre capital estrangeiro ou nacional. Sinto informar, mas esse idealismo existe apenas em sua cabeça. O simples fato de ser ele um movimento de abrangência MUNDIAL, já deveria responder bem a essa sua dúvida. O que eu acho que não ficou claro é o seguinte: a partir do momento em que a estatização total dos meios de produção é matematicamente impossível e que, simultaneamente você precisa manter o controle totalitário sobre o estado – controle da sociadade e controle da economia por um mesmo agente, a solução lógica que surge é, naturalmente a "fusão" entre estado e grandes grupos econômicos de caráter monopolístico. Desta forma, você não acaba com a propriedade privada, conseguindo assim manter o cálculo de preço e, por conseguinte, a economia como um todo. O passo seguinte a estimulação de uma economia estatizante e monopolística é aquilo que Hittler bem definiu como "colocar o empresariado de joelhos". O que é muito óbvio de se ocorrer, uma vez que partidos políticos, bem como movimentos políticos de alcance planetário contam com meios de eliminar adversários, muito mais eficazes e poderosos do que meia dúzia de banqueiros brincando de banco imobiliário. Lembrando que, "por o empresariado de joelhos" não significa de maneira alguma elimina-lo, mas sim, mante-los sob estrito controle e obediência canina para assegurar a não necessidade de medidas mais drásticas. E desta forma essa "meia-dúzia" de empresários se perpetua no "poder" de forma dinástica, indefinidamente. Loógico, contanto que continue obediente ao poder político do "partido-estado", no caso, ao Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães, vulgo: "PT da Alemanha".

  30. Mateus Mansur PORTANTO: a aliança entre estes grupos econômicos e o estado socialista – no caso, o Nazista – faz todo o sentido PRÁTICO, muito embora não faz sentido do ponto de vista doutrinal. Mas o mundo não é feito de doutrinas, é feito de práticas. E quando uma prática é impossível e, ainda assim, você incorre nela, estas arcando com as consequências daquilo que de fato irá ocorrer, e não com as intenções lindas e maravilhosas. Se você joga seu amigo da janela com a intenção de que ele voe como um passarinho, você está assumindo as consequências de ele, inevitavelmente, morrer na queda. Independentemente daquilo que se "desejava" com a ação. Como diria minha avó: "De boa-intenção o inferno está cheio". Não importa o quão linda seja a utopia socialista, sua lógica de funcionamento na prática é esta que expus, ou seja: fascismo. Do ponto de vista prático, não faz diferença chamar um regime socialista de "fascista", quanto chamar um regime fascista de "socialista". São homônimos.

  31. Evandro Evan Jejuno Realmente, tens toda a razão.. "Nós somos socialistas, nós somos inimigos do atual sistema econômico capitalista para a exploração dos economicamente fracos, com seus salários injustos, com sua indecorosa avaliação do ser humano de acordo com a riqueza e a propriedade em vez de sua responsabilidade e desempenho, e nós estamos todos determinados a destruir esse sistema sob todas as condições." Adolf Hitler (discurso de Primeiro de Maio de 1927, citado por Toland, 1976)

  32. Matheus Lacombe Não fode Matheus. Tu cita o mesmo texto que TODO mundo usa para justificar, a enrolada que o Hitler deu no povo. É só não ser tão analfabeto e ler um livro, que vai ver as várias citações contra o marxismo e a favor do capitalismo. E se for esperto, dá uma passadinha na página da Superinteressante no Facebook e olha a capa para ver o nazismo financiado por empresas capitalistas. Vai lá… Chega de revisionismo de trouxa.

  33. Nazismo de extrema-esquerda, menos para os doentes olavetes. Abre o livro do Hitler e vai ver um monte de citações contra o marxismo, contra o comunismo, a caçada dele e do Mussolini a quem era de esquerda e qualquer partido de esquerda, o financiamento de inúmeras empresas famosas, o ódio a várias raças e minorias e o total favorecimento a burguesia. Olavete é tudo revisionista, mas são tudo débeis mentais que acham que a Terra é o centro e que Einstein é uma farsa.

  34. Essa Ana Hope é uma farsa. É só uma débil mental, nunca abriu um livro. Quem forma opinião através de páginas de Facebook e vídeos do Olavo de Carvalho só pode ser débil mental.

  35. Matheus Lacombe Que fraude, forma opinião através de páginas de Facebook, nunca abriu um livro. Daqui a pouco vai dizer que anarquismo é de extrema-direita. Que revisionismo patético.

  36. Evandro Evan Jejuno Quer calar a boca e ler a porra dos comentários antes de falar merda? Quer bancar o "erudito" e não se dá nem ao trabalho de ler meia-página de texto em comentários antes de falar asneiras. Logo nota-se que é um leitor assíduo..

  37. Evandro Evan Jejuno Mateus Mansur Nenhum grupo ou partido de esquerda, uma vez no poder, jamais irá abolir por completo a propriedade privada. Não porque não desejem faze-lo, mas sim, porque isso é uma impossibilidade matemática. O que estou dizendo já foi comprovado com base no chamado "problema do cálculo de preço" pelos estudos do Nobel em economia, Ludwig Von Mises. Partindo desse pressuposto, o modelo econômico não é mais a definição última do socialismo. O que sobra disso tudo é o projeto político de PODER, o movimento, as conexões e compromissos reais entre os diversos grupos atuantes no cenário mundial. E o nazismo estava, sim, inserido no esquema politico comunista, e suas conexões e compromissos podem ser comprovados, dentre outras formas, pelos inúmeros tratados de colaboração mutua entre a então União das Repúblicas Socialistas Soviéticas de Stalin e o regime Nacional-Socialista alemão de Hittler. Com base no clássico "Stalin's war" (A guerra de Stalin) sabe-se que a União Soviética, a então a encarnação do movimento comunista – e não o próprio – financiou e forneceu armas a Alemanha nazista com a intenção de utiliza-la, segundo as palavras do próprio Stalin, como "ponta-de-lança da revolução". O que deu muito certo, diga-se de passagem. Adotar uma politica mais ou menos estatizante, a despeito da impossibilidade material da total estatização dos meios de produção, é algo irrelevante e que será ou não levado a cabo conforme fortalecer ou enfraquecer o poder político do movimento e não mais como uma condição 'sine qua non' para a existência do socialismo.

  38. Evandro Evan Jejuno Na verdade não, pequeno gafanhoto. As concessões feitas ao livre mercado pelo movimento comunista internacional não fazem distinção entre capital estrangeiro ou nacional. Sinto informar, mas esse idealismo existe apenas em sua cabeça. O simples fato de ser ele um movimento de abrangência MUNDIAL, já deveria responder bem a essa sua dúvida. O que eu acho que não ficou claro é o seguinte: a partir do momento em que a estatização total dos meios de produção é matematicamente impossível e que, simultaneamente você precisa manter o controle totalitário sobre o estado – controle da sociadade e controle da economia por um mesmo agente, a solução lógica que surge é, naturalmente a "fusão" entre estado e grandes grupos econômicos de caráter monopolístico. Desta forma, você não acaba com a propriedade privada, conseguindo assim manter o cálculo de preço e, por conseguinte, a economia como um todo. O passo seguinte a estimulação de uma economia estatizante e monopolística é aquilo que Hittler bem definiu como "colocar o empresariado de joelhos". O que é muito óbvio de se ocorrer, uma vez que partidos políticos, bem como movimentos políticos de alcance planetário contam com meios de eliminar adversários, muito mais eficazes e poderosos do que meia dúzia de banqueiros brincando de banco imobiliário. Lembrando que, "por o empresariado de joelhos" não significa de maneira alguma elimina-lo, mas sim, mante-los sob estrito controle e obediência canina para assegurar a não necessidade de medidas mais drásticas. E desta forma essa "meia-dúzia" de empresários se perpetua no "poder" de forma dinástica, indefinidamente. Loógico, contanto que continue obediente ao poder político do "partido-estado", no caso, ao Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães, vulgo: "PT da Alemanha".

  39. Evandro Evan Jejuno PORTANTO: a aliança entre estes grupos econômicos e o estado socialista – no caso, o Nazista – faz todo o sentido PRÁTICO, muito embora não faz sentido do ponto de vista doutrinal. Mas o mundo não é feito de doutrinas, é feito de práticas. E quando uma prática é impossível e, ainda assim, você incorre nela, estas arcando com as consequências daquilo que de fato irá ocorrer, e não com as intenções lindas e maravilhosas. Se você joga seu amigo da janela com a intenção de que ele voe como um passarinho, você está assumindo as consequências de ele, inevitavelmente, morrer na queda. Independentemente daquilo que se "desejava" com a ação. Como diria minha avó: "De boa-intenção o inferno está cheio". Não importa o quão linda seja a utopia socialista, sua lógica de funcionamento na prática é esta que expus, ou seja: fascismo. Do ponto de vista prático, não faz diferença chamar um regime socialista de "fascista", quanto chamar um regime fascista de "socialista". São homônimos.

  40. Matheus Lacombe Não vou ler teus copiar-colar. Kkkkkkkkkkkkkkkkkk. Tava demorando para citar von Mises. Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, essa é a fonte ideológica dele. E o anarquismo é de extrema-direita. Te larguei adolescente. Arruma uma mulher e larga o Facebook.

  41. Evandro Evan Jejuno Não tem capacidade de responder de forma racional a nenhum dos argumentos expostos e fica aí com afetações de intelectualidade. É triste, heim.. Vai agora dizer que Ludwig Von Mises é argumento de facebook? Pqp!

  42. Evandro Evan Jejuno O outro cidadão alí pelo menos tentava argumentar de alguma forma, por mais precária que fosse. Você não! Fica, aí que nem um diabinho rondando os tópicos apenas com o intuito de difamar..

  43. Matheus Lacombe Vai lá revisionista. Vai lá dizer que anarquismo é de extrema-direita e que tu é anarcocapitalista. Maior conversa fiada da história. Vai ler vagabundo, solteirão punheteiro. Von Mises no teu cu.

  44. Evandro Evan Jejuno Eu apenas perguntei se não era um regime totalitário de extrema esquerda, pois em varias fontes consta isso! Isso não é uma afirmação do que eu penso….;

  45. Vamos lá, machão? Quando esgotam-se os palavrões você não tem mais o que falar? Onde está o cara intelectual que tem moral pra chamar os outros de burro? Onde estão suas citações, que te dão autoridade moral pra chingar os demais de "avessos a leitura"? Quantos livros você leu na vida, pivete?

  46. Matheus Lacombe eu só queria saber o problema de ser Catarinense! Pq é um estado com uma cultura fantástica e um excelente lugar para se viver;

  47. Matheus Lacombe o Xara versão babaca, te mandei uma video aula explicando porque é de direita, se recusa a enxergar as evidencias , e continuar reproduzindo esse discurso arcaico , fodas é seu, continue alienado, nem perco meu tempo mais argumentando com você, bjs.

  48. Direita, esquerda, a discussão segue como se fizesse diferença. A verdade é que a natureza humana é medíocre e quem chega ao poder permanente ou efemeramente se corrompe ou pelo poder ou pelo medo se tivessemos um governo de esquerda e não corrupto teríamos uma vida mais igualitária, no entanto, no mundo nunca este fato ocorreu. comunista apenas os indígenas, não afetados. O Nazismo lançava mão do que mais lhe interessava nos sistemas existentes e não se importavam com denominações, socialistas por um lado eram, capitalistas com certeza.

  49. Não, são semelhantes, mas não iguais. Ambas usam o Estado p/ promover o que lhes interessam. Vejam as citações de Hitler em Mein Kampf pág 22: "Nesse tempo, abriram-se-me os olhos para dois perigos que eu mal conhecia pelos nomes e que, de nenhum modo, se me apresentavam nitidamente na sua horrível significação para a existência do povo germânico: marxismo e judaísmo”.
    Mein Kampf pág 53:”A doutrina judaica do marxismo repele o princípio aristocrático na natureza. Contra o privilégio eterno do poder e da força do indivíduo levanta o poder das massas e o peso-morto do número. Nega o valor do indivíduo, combate a importância das nacionalidades e das raças, anulando assim na humanidade a razão de sua existência e de sua cultura. Por essa maneira de encarar o universo, conduziria a humanidade a abandonar qualquer noção de ordem. E como nesse grande organismo, só o caos poderia resultar da aplicação desses princípios, a ruína seria o desfecho final para todos os habitantes da terra.
    Se o judeu, com o auxílio do seu credo marxista, conquistar as nações do mundo, a sua coroa de vitórias será a coroa mortuária da raça humana e, então, o planeta vazio de homens, mais uma vez, como há milhões de anos, errará pelo éter.”
    O NAZISMO ERA DE EXTREMA DIREITA, SIM!

  50. O nazismo era de extrema direita, sim! Hitler em seu livro: ”A doutrina judaica do marxismo repele o princípio aristocrático na natureza. Contra o privilégio eterno do poder e da força do indivíduo levanta o poder das massas e o peso-morto do número. Nega o valor do indivíduo, combate a importância das nacionalidades e das raças, anulando assim na humanidade a razão de sua existência e de sua cultura. Por essa maneira de encarar o universo, conduziria a humanidade a abandonar qualquer noção de ordem. E como nesse grande organismo, só o caos poderia resultar da aplicação desses princípios, a ruína seria o desfecho final para todos os habitantes da terra.
    Se o judeu, com o auxílio do seu credo marxista, conquistar as nações do mundo, a sua coroa de vitórias será a coroa mortuária da raça humana e, então, o planeta vazio de homens, mais uma vez, como há milhões de anos, errará pelo éter.”
    "Nos anos de 1913 e 1914 manifestei a opinião, em vários círculos, que, em parte, hoje estão filiados ao movimento nacional-socialista, de que o problema futuro da nação alemã devia ser o aniquilamento do marxismo”.

  51. Evidente que era um regime de extrema direita, não há o que questionar a respeito, salvo desconhecer o vernáculo. Tentar fundamentar tese contrária baseada nas palavras de Hitler é o mesmo que citar o evangelho segundo Satanás. Ora, é notório que Hitler apropriava-se do discurso. O que caracteriza direita ou esquerda não e socialismo ou capitalismo: O termo é anterior a isso. Olavo de Carvalho novamente errado. Desde quando a estatização da economia é privilégio dos regimes socialistas? O regime militar brasileiro era altamente estatizante, embora anticomunista. Quase todos os regimes totalitários em países de economia frágil adotam o estado intervencionista. Era o caso da Alemanha de Hitler, que no momento da ascensão dos nazistas ao poder tinha economia em frangalhos devido à primeira guerra mundial, e tinha dificuldade em atrair investimentos externos para recuperar-se. Quanto a ser anticristã, é risível. Evidente que um movimento nacionalista radical como o nazismo valorizava as raízes culturais alemãs, e é obvio que o cristianismo não está inserido aí. Ademais, a negação das doutrinas judaico-cristãs vinha dar amparo ao antissemitismo. Dizer que nazismo era materialista, é desconhecimento puro, falar por orelhada, como é costume do Olavo. Classificar o nazismo de revolucionário chega a ser cômico… Qualquer resumo de Mein Kampf serve para alguém alfabetizado entender que o nazismo não propunha revolução alguma, ao contrário, na prática dava apenas nova nomenclatura e justificativa para a mesma sociedade alemã do segundo Reich. Olavo de Carvalho é um imbecil que deu certo, favorecido por um país que aprende pela opinião dos outros. O nazismo socialista? Onde ele viu isso? a apropriação do nome não implica em prática automática dos princípios do socialismo. A única semelhança entre nazismo e socialismo é que os dois eram regimes totalitários. Se Olavo de Carvalho acha que não era, bem é ele contra a esmagadora maioria dos historiadores. e francamente, pobre Olavo de Carvalho.

  52. Matheus Lacombe: Tenha misericórdia! Que não conheças teoria política vá lá. Mas a língua pátria é dever. Se um tem nome de nazismo, e o outro tem nome de socialismo, não são homônimos, pois não?

  53. Só porque os SOCIALISTAS querem passar esta idéia e não se identificarem com o nazismo… O nazismo nasceu da classe proletariada. Hitler estudou profundamente o marxismo antes de aplicá-lo. o partido era Partido Nacional SOCIALISTA dos Trabalhadores da Alemanha. Na Alemanha havia pobreza e desemprego, sendo que os ricos eram na sua maioria os judeus. Hitler promoveu o atrito de classes e o ódio para gerar a revolução. Promoveu a opressão pelo genocídioe e com isto se fortaleceu em sua ditadura. Os mesmos campos de concentração de Marx foram usados na Alemanha, União Soviética, China, Cuba, etc… É SINAL DE EXTREMA IGNORÂNCIA DIZER QUE O NAZISMO ERA DE DIREITA, até o seu brasão tinha a foice e o martelo. Vamos estudar mais , pessoal!!! A mesma ignorância é chamar o regime militar de EXTREMA DIRETA, POR QUÊ??? Extrema direita é governo mínimo, nunca ditadura! Quem detem mais poder econômico e político é mais esquerda e o inverso mais direita. Regime militar foi , no máximo, centro direita! SE NÃO ENTENDEU VAI LER E NÃO EM LIVROS DE SOCIALISTAS QUE MODIFICAM A HISTÓRIA E OS CONCEITOS.

  54. Mariangela Hauschild Silveira, Hitler estudou o Marxismo para impedir sua expansão na Alemanha. Em Mein kampf, ele fala abertamente sobre o marxismo, e, como para ele, os judeus queriam dominar a economia mundial através deste regime. A confusão das pessoas está no nome do partido: "partido nacional socialista", o socialismo de Hitler não era o socialismo de Marx. Hitler não pode ser um socialista, pois ofereceu uma aliança entre o capital e o trabalho na forma de corporativismo, com o propósito de evitar a luta de classes. Ideal completamente oposto ao Socialismo, já que o mesmo é definido pela luta de classes onde há uma vitória absoluta do proletariado contra as classes dominantes. visto que se baseia em hierarquia racial, ao contrário do igualitarismo socialismo – e que Hitler apenas usou uma economia socialista para seguir com sua agenda, mas isso não significa que o mesmo era socialista, já que a política para Hitler era mais importante do que uma teoria econômica consistente. Para evidenciar isso, segundo o historiador Tim Stanley explica que as fazendas alemãs não foram coletivizadas como exige o marxismo, pelo contrário, foram protegidas da concorrência e o fazendeiro tido com o ideal ariano. Stanley também explica que a “agricultura caiu em importância na medida em que a guerra se aproximava e industrialização teve prioridade. Política económica subia e descia do que poderia ser grosseiramente chamado de ‘esquerda para a direita'”. Ele ainda argumenta que Hitler tinha uma obsessão em derrotar o “comunismo judeu”. É SINAL DE EXTREMA IGNORÂNCIA ESCREVER SEM ESTUDAR AS COISAS. OBS: SOU LIBERTÁRIO, NÃO SOCIALISTA.

  55. A direita tentando (e conseguindo, com alguns asnos repetindo sandices) mudar a história mais uma vez… "Nazismo é de esquerda"… hahahahahahhahahahahhahahah ANTA morfética!

  56. engraçado negros serem citados pois no próprio exército alemâo havia muitos deles,o racismo presente no nazismo era contra minorias e não diretamente a negros e judeus 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>